Novo tratamento para Fibromialgia

Um novo tratamento para fibromialgia foi desenvolvido pelos pesquisadores do Centro de Pesquisas em Óptica e Fotônica (CEPOF) e tem reduzido consideravelmente a dor de pacientes com fibromialgia.

Graças a um novo equipamento, o novo tratamento para fibromialgia é feito com aplicação concomitante de laser e ultrassom por três minutos na palma da mão dos pacientes, e não nos pontos de dor espalhados pelo corpo, em um tratamento total de 10 sessões, duas vezes por semana.



Este novo tratamento tem apresentado maior ação analgésica e anti-inflamatória. Como consequência da redução da dor e dos sintomas da fibromialgia, os pacientes tiveram também melhora no sono, na capacidade de executar tarefas cotidianas e na qualidade de vida como um todo.

“São duas inovações no mesmo estudo: o equipamento e o protocolo de tratamento. Ao fazer a emissão conjugada de ultrassom e laser conseguimos normalizar o limiar de dor do paciente. Já o tratamento na palma das mãos contrapõe o tipo de atendimento feito hoje, muito focado nos pontos de dor”, disse Antônio Eduardo de Aquino Junior, pesquisador e um dos autores do artigo.

 

O estudo

O estudo para o tratamento da fibromialgia foi realizado com 48 mulheres de 40 a 65 anos diagnosticadas com fibromialgia e orientado pelo professor Vanderlei Salvador Bagnato.

Três grupos receberam emissões de laser, ultrassom ou a conjugação de ultrassom e laser na região do músculo trapézio. Os outros três grupos tiveram como foco do tratamento as palmas das mãos.



Os resultados mostraram que o tratamento realizado nas mãos foi mais eficiente para os três tipos de técnicas, sendo que o tratamento com a combinação de laser e ultrassom ofereceu melhoras significativas aos pacientes. A avaliação dos resultados com cada tipo de aplicação foi baseada em protocolos como o Questionário de Impacto da Fibromialgia (FIQ) e a Escala Visual Analógica (EVA).

novo-tratamento-fibromialgia
Novo Tratamento para Fibromialgia

Na comparação entre ultrassom, laser e ultralaser aplicados no músculo trapézio, houve um percentual de diferença de 57,72% na melhora de funcionalidade e 63,31% na redução de dor para o grupo de ultralaser.

Já na comparação entre o tratamento no músculo trapézio e na palma das mãos com ultralaser, houve um percentual de diferença de 75,37% na redução de dor para o tratamento focado nas palmas das mãos.

 

Por que laser e ultrassom nas mãos?

A ideia de testar os efeitos do novo equipamento em aplicações na região das mãos surgiu a partir da revisão de literatura científica. De acordo com Juliana da Silva Amaral Bruno, fisioterapeuta e primeira autora do estudo, outras pesquisas anteriores indicaram que pacientes com fibromialgia apresentam quantidade maior de neurorreceptores próximos aos vasos sanguíneos das mãos e alguns pacientes chegam a ter até pontos vermelhos nessa região.

Por esta razão, decidiram colocar o foco deste novo tratamento para fibromialgia nessas células sensoriais das mãos e não só nos chamados pontos de gatilho de dor, como o músculo trapézio, que é uma região normalmente de muita dor para pacientes fibromiálgicos.

 

musculo-trapezio
Músculo Trapézio (© Science Photo )

“Os resultados da aplicação de ultrassom e laser conjugados nos pontos de dor, como o músculo trapézio, foram extremamente positivos, mas eles não conseguiam atingir as outras principais inervações afetadas pela doença. Já o tratamento na palma das mãos teve um resultado global, restabelecendo a qualidade de vida dos pacientes e, claro, eliminando a dor”, disse Juliana.

De acordo com o estudo, a normalização de fluxo sanguíneo tanto periférico como cerebral a partir das áreas sensíveis das mãos promove, ao longo das sessões, a normalização do limiar de dor do paciente. Aquino ressaltou que é importante lembrar que isso não é uma cura para a fibromialgia, mas uma forma de tratamento em que não é necessário fazer uso de medicamentos.




 

Ele acredita que o novo equipamento que faz a emissão conjugada de ultrassom e laser deve chegar ao mercado no início de 2019. Ele está sendo testado por pesquisadores do CEPOF para outras patologias.

“Estamos fazendo testes em osteoartrite, no joelho, mão e pé e o resultado também tem sido interessante. Outros projetos estão sendo montados para outras doenças”, disse o pesquisador.

Em artigo foi publicado no Journal of Novel Physiotherapies , e foi financiada pela Fapesp, pelo CNPq e pela Finep.

Fontes/ Fonte das Imagens: Novo Tratamento para FibromialgiaMúsculo Trapézio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

4 × 1 =